IBO forma novos DO’s

 

O título de D.O. em Osteopatia, que significa “Diplomado em Osteopatia”, é um ritual cumprido em todo os países onde a profissão é regulamentada. Para os alunos do Instituto Brasileiro de Osteopatia (IBO) que receberam o diploma no último dia 2 de novembro as duas letras que representam a primeira etapa de formação como osteopata também significam o encerramento de um ciclo de estudos e muita dedicação. Os diplomas foram entregues durante o XVIII Simpósio Internacional de Osteopatia, realizado pelo IBO, em Porto Alegre.

Nove alunos do Instituto apresentaram seus trabalhos de pesquisa para uma banca formada pelos osteopatas Jacson Nesi DO, coordenador do IBO, e os professores belgas Yves LEPERS DO PhD, Walid Salem DO PhD. A apresentação dos trabalhos foi aberta ao público e contou com a presença de alunos e professores do Instituto Brasileiro de Osteopatia, além de familiares dos formandos.

Essa turma de diplomados teve ainda um outro significado especial para o IBO: foram os primeiros alunos que iniciaram suas formações após o falecimento do fundador da escola, Bernard QUEF. “Em homenagem à Bernard QUEF, primeiro osteopata a lecionar o ofício no Brasil e falecido em 2009, dedicamos o sucesso das apresentações dos trabalhos e desejamos boa sorte aos novos DO’s”, comemorou a coordenadora GERAL do IBO Natália Rocha.

    Confira os temas apresentados por cada um dos alunos diplomados:

O efeito do tratamento manipulativo osteopático na dor e funcionalidade de indivíduos com dor cervical crônica inespecífica em follow up de 30 e 60 dias: ensaio clínico randomizado- CLEDER PONTEL VIGOLO

Avaliação do controle postural e do limiar de dor a pressão dos músculos suboccipitais após aplicação de técnica osteopática para os músculos extraoculares em pessoas com queixa de fadiga visual inespecífica – ELTON LUIZ MACEDO

O efeito do tratamento manipulativo osteopático na dor e funcionalidade de indivíduos com dor cervical crônica inespecífica: ensaio clínico randomizado – FRANCIELE LOCATELLI

Integração ensino e serviço no sistema único de saúde: percepções sobre experiências formativas – GABRIELA MOREIRA PARANHOS DIAS

Efeito imediato da manipulação do fígado no comportamento hemodinâmico da veia porta avaliado por us doppler em indivíduos hígidos: um estudo piloto – LUCIANA RIBEIRO GUIMARÃES

Comparação dos efeitos da manipulação em alta velocidade e baixa amplitude e da mobilização do Método Mulligan® na oscilação do centro de pressão e limiar pressórico de sensibilidade dolorosa em indivíduos com dor lombar crônica – MICHELLE TABAJARA FONSECA

Efeitos do tratamento manipulativo osteopático na dor lombar, incapacidade funcional e mobilidade vertebral em atletas amadores da federação capixaba de triátlon: estudo clínico, randomizado e controlado – RAFAEL ALVES RISSO

Efeitos da técnica de alta velocidade e baixa amplitude (AVBA) e sustained natural glide (SNAG) em pacientes com dor lombar crônica inespecífica na avaliação da dor e na pressão plantar – SHEILA TEDESCO

Intensidade da dor e sintomas associados na qualidade de vida e funcionalidade de indivíduos com cervicalgia crônica: estudo transversal – SIMONE VACCARI